segunda-feira, 31 de março de 2008

PARTO DOMICILIAR












Parto Domiciliar Planejado








Reconhecer e valorizar os aspectos fisiológicos do parto é fundamental para iniciar um conceito de humanização do nascimento. Através desse reconhecimento, pode-se respeitar a mulher como o ser mais indicado para escolher a forma e o local mais adequados para ganhar o bebê, sem intervenções desnecessárias.O parto domiciliar é um direito e uma opção para as mulheres e famílias. Parir dessa forma é seguro e perfeitamente viável, quando a mulher sente em seu coração que este é o melhor caminho para ela. A família, reunida no seu próprio meio, vive junto uma experiência maravilhosa, que marca a existência e tece ligações entre seus membros para sempre.Nossa proposta pra um parto domiciliar respeita o corpo e os desejos da mulher. Queremos resgatar a atmosfera acolhedora do lar – onde ela se sente confiante e à vontade – como facilitadora de um ótimo progresso do trabalho de parto. Sabe-se que, quando a mulher se sente relaxada, os hormônios envolvidos no parto fluem melhor. Isto se traduz em segurança e saúde para o mãe e o bebê.Partos domiciliares são indicados para gravidez de baixo risco, entre 38 e 42 semanas de gestação, para os casais que desejam uma vivência plena em ambiente tranqüilo, no momento do parto. Além disso, a gestante deve ter um acompanhamento pré-natal com profissional médico especializado.O parto é realizado por pro fissionais experientes e competentes, que cercam-se de todos os cuidados necessários para oferecer segurança e atendimento de alta qualidade à mulher e sua família. Os partos assistidos , são atendidos por enfermeiras obstétricas que são profissionais aptas a realizar esse tipo de procedimento. Fazem visitas e consultas pré-natais, bem como o acompanhamento do recém nascido nos primeiros dias de vida até o estabelecimento da amamentação.

UMA MÚSICA ESPECIAL...DE UM MOMENTO ESPECIAL...!!ESPERO Q GOSTEM...

video

ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL


O objetivo da assistência pré-natal é o de acompanhar a gestante durante esse período tentando diagnosticar e tratar possíveis doenças que venham a surgir ou que ainda não tinham sido descobertas, tendo como meta, no final da gestação, uma mãe e um recém-nascido saudáveis.


Cartão de Pré-natal
Época de início, número de consultas
Data do Parto - Idade Gestacional
Ganho de Peso, Tamanho do Útero
Toque Vaginal e Preventivo do Colo Uterino
Pressão Arterial
Freqüência dos Batimentos do Coração do Feto
Exames Laboratoriais
Ultra Som
Orientações Gerais
Queixas e duvidas mais freqüentes e suas soluções
Sinais de Alerta
O que levar para a Maternidade?


*Cartão de Pré-natal


Toda gestante deve pedir ao seu obstetra um cartão de pré-natal com todos os dados de importância citados abaixo e que contenha os resultados dos exames realizados. Essa importância é devida ao fato de poder ocorrer a necessidade de uma consulta de urgência e esses dados não estarem disponíveis ao médico que a consultará pela primeira vez, dificultando a tomada de decisões em uma série de possíveis problemas a serem resolvidos. A gestante deverá sempre ter em mãos o cartão de pré-natal quando sair de casa.


*Época de início, número de consultas


O pré-natal deverá ser iniciado o mais precoce possível, de preferência antes do final do primeiro trimestre da gestação.O intervalo entre as consultas deve ser de no máximo 5 semanas entre uma consulta e outra e no último mês esse intervalo deverá ser semanal. O pré-natal só termina quando ocorrer o parto, portanto, o obstetra deverá marcar consultas até que esse fato ocorra.


*Data do Parto - Idade Gestacional


A data provável do parto é calculada a partir da informação da gestante da data do primeiro dia da última menstruação. Soma-se 7 ao dia e subtraí-se 3 ou soma-se 9 ao mês da data informada. Ex: Data do início da última menstruação: 03/05/96.
Data provável do parto: 10/02/97. O parto deverá ocorrer em um período de mais ou menos duas semanas da data calculada, entretanto, toda gestação que atingir a data calculada deverá ser seguida de perto pelo obstetra responsável devido ao risco da placenta se tornar insuficiente para nutrir o feto,fato esse secundário a seu "envelhecimento". A data provável do parto equivale a uma gestação de 40 semanas ou 9 meses. A idade gestacional (tempo de gestação) é calculada pela soma dos dias a partir do primeiro dia da última menstruação até a data da consulta. Dividindo esse resultado por 7 obtêm-se o número de semanas já transcorridas.


*Ganho de Peso, Tamanho do Útero


O ganho de peso de uma gestante deverá se situar entre 9 a 12 quilos do peso antes de se engravidar. O ganho de peso em excesso é prejudicial tanto para a mãe quanto para o feto, como será visto posteriormente. O ganho de peso excessivo pode ser controlado pela realização de caminhadas diárias com a duração de pelo menos uma hora e pelo retirada de massas e açúcares da dieta da gestante. O útero cresce 4 centímetros por mês. No primeiro mês, entretanto, o útero ainda está situado dentro da pelve ("bacia") materna por isso não pode ser medido.Então no segundo mês o útero deverá ter 4 centímetros quando medido a partir do osso da púbis (sínfise púbica) até a projeção do fundo uterino. No nono mês: 9 - 1 (primeiro mês intra-pélvico) X 4 = 32 centímetros.


*Pressão Arterial


A pressão arterial durante a gestação varia. Inicia-se geralmente semelhante a pressão antes da gestação, cai a partir da trigésima terceira semana e volta novamente a se elevar no final da gravidez. Geralmente, níveis tensionais iguais ou inferiores a 140/90 mmHg sãoconsiderados normais.
Freqüência dos Batimentos do Coração do Feto
A freqüência cardíaca fetal normal varia de 120 a 160 batimentos por minuto, o dobro de um adulto normal.


*Exames Laboratoriais


-Hemograma- Principalmente para o diagnóstico de anemia. A partir da metade da gravidez, devido a diluição do sangue, o valor de referência para a normalidade é menor.

-VDRL- Para pesquisar sífilis. Caso o resultado seja negativo o exame deverá ser realizado a cada três meses.

-Pesquisa de Rubéola e Toxoplasmose- Geralmente é pedido o teste de Elisa. Um teste de Elisa com a fração IgM positiva significa infecção recente, com possibilidade de acometimento fetal. Um teste com a fração IgG positiva e a fração IgM negativa geralmente indica imunidade à doença (a paciente já teve a doença anteriormente à gestação e não voltará a tê-la).

-Urina rotina e Urocultura- Pesquisa de infecção urinária e perda de proteína na urina. Essa última é encontrada nas doenças do rim e na pré-eclâmpsia.

-Glicemia de Jejum- Geralmente requerida no início do pré-natal para diagnosticar a presença de diabete anterior a gravidez.

-Glicemia pós-dextrosol- Exame que serve para pré-selecionar um grupo de pessoas que pode ser portador de diabete gestacional; um tipo de diabete que se desenvolve durante a segunda metade da gravidez devido à hormônios produzidos na placenta. O exame deve ser realizado entre a vigésima quarta e vigésima oitava semanas, não tendo validade se realizado anteriormente. Pacientes que engordaram muito, que têm parentes com diabete, que tiveram em gestações anteriores recém-nascidos muito grandes ou que nasceram mortos e nas que na gestação atual apresentam aumento do líquido amniótico o exame deverá ser repetido na trigésima segunda semana degestação.

-Grupo sangüíneo e fator Rh - Sendo a mãe do grupo sangüíneo Rh negativo, deverá ser feita a pesquisa do teste de Coombs indireto. Esse último serve para saber se a mãe já teve contato com sangue Rh positivo e se criou anticorpos. Caso a paciente tenha criado anticorpos dizemos que ela está imunizada e nesse caso o teste de Coombs virá positivo e o feto poderá desenvolver uma grave anemia. Para evitar essa imunização toda paciente Rh negativo que tenha um filho Rh positivo deve, até o terceiro dia de pós-parto, receber a imunoglobulina anti-Rh.

-Ultra SomTrabalhos recentes mostram que o exame de ultra-sonografia não melhora o prognóstico fetal. Realizá-lo ou não, sem uma indicação de alteração detectada pelo exame obstétrico, não aumenta a possibilidade de se ter uma gravidez com êxito. Entretanto, é inegável que os avanços conseguidos com a ultra-sonografia. Quanto mais precoce o exame maior a possibilidade de se acertar a correta idade gestacional (tempo degestação). Um ultra-som entre a 11a e a 13a semanas de idade gestacional serve para pesquisar a prega na nuca do feto que se muito aumentada pode estar associada com malformações genéticas, Síndrome de Down e outras. Realizado por volta da 24a-28a semana de gestação serve para avaliar malformações de órgãos e para ver o sexo fetal. No final da gestação avalia-se a vitalidade do feto e a quantidade de líquido amniótico.


*Queixas e duvidas mais freqüentes e suas soluções:


-Banho - deve ser de chuveiro e diário. Os banhos de imersão, se realizados, não devem ser prolongados e a temperatura da água deve ser semelhante a do corpo(água morna).
Tratamentos dentários - permitidos e aconselháveis desde que o anestésico utilizado não contenha adrenalina.

-Duchas vaginais - As irrigações vaginais são proibidas. A região próxima da vagina e do anus deve ser bem higienizada.

-Preparação do mamilo para amamentação- mediante massagens e banho de sol. Naquelas pacientes cujos mamilos não são muito salientes devem ser realizadas trações digitais afim de torná-los mais aptos à sucção futura pelo recém-nascido.

-Vestuário - não exige roupas especiais. O vestuário deve, no entanto, proporcionar comodidade e liberdade de movimentos. Sapatos de salto alto devem ser evitados por interferem no equilíbrio. Os melhores são os de salto médio. As meias elásticas são recomendadas para facilitar o retorno de sangue das pernas. Um porta-seio firme é essencial.

-Atividade sexual- Em gestações sem intercorrências, a relação sexual está liberada desde o início até o final da gravidez, desde que não haja fatores que a contra-indique como sangramento, ameaça de aborto e trabalho de parto prematuro. Contrações uterinas durante o ato sexual são perfeitamente toleradas, não trazendo risco para o feto.

-Exercícios físicos- As atividades físicas devem ser exercidas numa intensidade determinada por limites individuais. Diz-se que a grávida deve aprender a ouvir o corpo, exercitando-se até onde ele permite. Em relação aos esportes, a natação e o caminhar são os mais indicados. As ginásticas com saltos não são recomendadas. (Procurar uma Doula ou uma Educadora Perinatal)

-Viagens- em situações de baixo risco as viagens são permitidas. Recomenda-se que viagens longas sejam acompanhadas por freqüentes períodos de descanso. As companhias aéreas exigem das gestantes que tragam um atestado médico informando a idade gestacional. Geralmente os vôos são proibido após o 8o mês de gestação, em função, não só pelo risco de desencadeamento do trabalho de parto durante o vôo, quando este for mais longo, mas também pela possibilidade da pressurização não ser suficiente para garantir perfeita oxigenação fetal. Entre o sexto e oitavo mês apenas as viagens aéreas de curta duração são permitidas. As viagens longas por meio de automóveis são desaconselhadas no último mês de gestação.

-Fumo- observa-se uma incidência maior de recém-nascidos pequenos quando as mães fumaram durante a gestação. Esse efeito parece ser relacionado ao número de cigarros, principalmente se for maior do 10 por dia. A mulher grávida deve ser encorajada a não fumar ou pelo menos, restringir ao máximo esse hábito.

-Álcool- devido à problemas de malformações do feto e outros, o álcool não deve ser ingerido durante os primeiros três meses de gestação. Após esse período a sua ingestão não deve ser maior que uma dose de destilados ou dois copos de cerveja.

-Pintura de cabelos- Deve ser desaconselhada principalmente no primeiro trimestre de gestação já que as tintas possuem chumbo em sua composição, substância essa que é tóxica.

-Queda de cabelos- É freqüente a queixa de queda de cabelos durante a gestação e no pós-parto. Trata-se de alteração fisiológica (normal) e momentânea. Depois de alguns meses de pós-parto os cabelos voltam a crescer.

-Atividades profissionais- O obstetra deve avaliar as condições de trabalho e, se necessário, sugerir mudanças temporárias em função de atividades que tragam riscos fetais, posturas incomodas, períodos ininterruptos de trabalho, entre outras possíveis intervenções.

-Náusea e vômitos- A paciente deve procurar comer alimentos leves e fazer refeições freqüentes. É importante também o suporte emocional para essa mulher, tanto da parte do médico quanto da família. Medicamentos para parar os vômitos são usados apenas como medida final quando os vômitos estiverem levando a gestante a perder peso ou interferindo com o seu período de repouso.

-Cloasma (manchas no rosto)- recomenda-se o uso de protetor solar continuamente para evitar que apareçam ou se tornem mais pronunciados.

-Pirose (queimação)- A pirose pode ser minimizada pelas seguintes orientações: não dormir logo após uma alimentação (esperar pelo menos uma hora), não realizar refeições de grande volume, alimentar mais vezes e em menor quantidade, evitar café, chocolate e refrigerantes e elevar a cabeceira da cama com dois tijolos de cada lado.

-Constipação- orientação médica durante o pré-natal corrigindo o hábito alimentar. O uso de alimentação que facilite a motilidade intestinal e a formação do bolo fecal (fibras, frutas - mamão, ameixa, laranja com bagaço -, cereais - farelo ou germe de trigo, maior ingestão de líquidos) costumam resolver o problema. O uso de medicamentos e do supositório de glicerina fica restrito aos casos mais rebeldes que venham a trazer desconforto à gestante.

-Varizes- desde o início do pré-natal a gestante deverá utilizar meias elásticas e elevar sempre que possível os membros inferiores. O tratamento específico (injeções ou correção cirúrgica) é contra-indicado durante a gravidez.

-Edema (inchação)- O edema é uma alteração normal durante a gestação e em algumas pacientes pode vir a aparecer ou aumentar após o parto. Edema de mãos e de face devem merecer uma consulta médica, embora na maioria das vezes também não indiquem presença de doença. Diuréticos estão contra-indicados.

-Câimbras- São minimizadas com massagem nas pernas, flexão suave dos pés e calor local. As câimbras ocorrem fisiologicamente durante a gestação, principalmente durante o período de clima frio. A utilização de derivados do leite podem minimizar o problema quando existir carência de cálcio.

-Dores lombares localizadas ou irradiando para às pernas- A maioria dessas dores são secundárias à má postura ao se sentar e ao carregar peso e principalmente devido à sobrecarga imposta à coluna vertebral pelo útero gravídico. Períodos maiores de repouso, correção dos vícios posturais e a realização de exercícios físicos são as medidas adotadas.

-Estrias- A medida mais eficaz é o controle do ganho de peso. A utilização de cremes hidratantes é permitida embora sua eficácia não seja comprovada. Quanto menos a gestante engordar menor é a possibilidade de sua ocorrência.

-Hemorróidas- a dor e edema são aliviados pelo uso de agentes que amolecem as fezes e pela aplicação tópica da anestésicos.

-Uso de vitaminas e anemia- A maioria das anemias que aparecem durante a gravidez são devido a carência de ferro. Durante a gestação uma grande quantidade desse mineral é consumida. A utilização indiscriminada de sulfato ferroso associado ou não a outros minerais e vitaminas é controversa. Deve-se, entretanto, utilizá-lo nas pacientes que tinham fluxo menstrual aumentado, que não ingiram carne vermelha e feijão pelo menos duas a três vezes durante a semana, que estiveram grávidas em um período inferior a um ano, nas portadoras de cardiopatia ou que estejam grávidas de gêmeos. A utilização de sulfato ferroso profilático (com o objetivo de evitar a anemia) é de apenas um comprimido ao dia e com o fim terapêutico é de dois a quatro comprimidos ao dia (1.200 mg/dia). É preferível a sua ingestão antes das refeições devido a acidez do estômago favorecer sua absorção.

-Alimentação- As refeições devem ser mais freqüentes e de pequeno volume, evitando-se assim náuseas e vômitos do início da gestação e os distúrbios digestivos que ocorrem no final. A mulher grávida deve ser orientada a utilizar uma alimentação variada a fim de que suas necessidades e as do feto sejam plenamente satisfeitas. São dispensáveis e devem ser evitados as massas e os açucares. Dietas ricas em cálcio parecem diminuir a incidência de pré-eclâmpsia. A ingestão de um pedaço de queijo de 200g por dia é recomendada para esse fim.

-Vacinação- A vacinação antitetânica é recomendada a partir do 5o. mês para aquelas pacientes não vacinadas, sendo as doses em número de 3, uma a cada 2 meses. Nas vacinadas mais de 5 anos, basta uma dose de reforço entre o sétimo e o oitavo mês. Considera-se vacinada a paciente que tenha recebido qualquer vacinação antitetânica, mesmo que tenha sido apenas durante a infância (tríplice infantil). Nos postos de saúde está sendo administrada a dupla adulto que protege também contra a difteria e pode ser administrada durante a gestação.

-Alterações emocionais- Durante a gestação vários serão os possíveis problemas emocionais. A gestante deverá discuti-los com o seu obstetra. Esses passam por questionamentos sobre a própria gestação, conflitos do casal e financeiros. O obstetra por sua vez deverá sempre estar disposto a ouvir e a aconselhar.

-Uso de medicamentos na gravidez- Todo e qualquer medicamento durante a gestação deve ser prescrito pelo médico obstetra, portanto a automedicação é contra-indicada.

-Dor de cabeça- Embora a maioria dos medicamentos utilizado para tratamento das dores de cabeça sejam inócuos ao feto, os mesmos devem ser evitados. Não devem ser utilizados medicamentos com ergotamina (tipo Neosaldina, Cefalium) devido ao efeito vasoconstritor dessa droga. Os medicamentos a base de ácido acetil salicílico (tipo AAS, Aspirina), não devem ser utilizados no final da gestação devido alterarem a coagulação do sangue e poderem aumentar o sangramento durante o parto e no período pós-parto.


*Sinais de Alerta


**A gestante deverá procurar assistência médica na presença dos seguintes sintomas:

**Febre;

**Dor ao urinar;

**Dor de cabeça não usual (diferente da que já tinha);

**Aparecimento de edema nos braços ou na face, principalmente se acompanhado de dor de


**cabeça não usual ou aumento da pressão arterial;

**Vômitos persistentes com desidratação ou desnutrição;

**Parada de movimentação do feto, após a vigésima sexta semana de gestação, por um período superior a 10 horas;

**Sangramento vaginal - o sangramento sempre é um sinal de alerta, procure sempre orientação médica mas saiba que após a 37ª semana. A preocupação é maior se o volume for superior a de uma menstruação ou acompanhado de cólicas. Nesse caso procure imediatamente a maternidade. A perda de tampão mucoso, semelhante a um catarro claro com raias de sangue e chamado popularmente de sinal, esse fato não deve preocupar a gestante a não ser que venha acompanhado de cólicas freqüentes (intervalo inferior a cinco minutos);

**Dor abdominal tipo cólica - Em gestações inferiores a trinta e quatro semanas procurar assistência médica se vierem em uma freqüência superior a três vezes / hora. Após essa data apenas se de cinco em cinco minutos. Dores abdominais esporádicas são freqüentes durante a gestação e geralmente são devido à contrações esparsas (que não dilatam o colo) ou à distensão dos ligamentos do útero em crescimento. Na dúvida procure assistência médica. Em gestação a termo o prazo para se procurar o médico deve ser de até duas horas. Para uma gestante que nunca teve filhos, após as contrações estarem de cinco em cinco minutos, a mesma deve ser orientada a deitar de lado e observar. Caso as contrações, após um prazo de meia hora, persistirem na mesma freqüência a gestante deverá procurar a maternidade, porém em um prazo de até duas horas. O parto geralmente só ocorrerá após 6 a 8 horas após esse padrão de contrações ser atingido;

**Perda de líquido claro pela vagina - Pode ser devido a rotura de membranas. Geralmente quando isso acontece a gestante tem a sensação de estar urinando sem querer. O volume geralmente é suficiente para molhar a roupa externa (além da calcinha). Em caso de dúvida procurar o serviço médico em prazo inferior a duas horas, mesmo se não estiverem ocorrendo contrações.


*O que levar para a Maternidade?


Coisas de uso pessoal: trazer absorvente íntimo, pasta dental, escova de dente e de cabelo, chinelo, roupa para a alta hospitalar.
O que o hospital fornece:toalhas, roupas de cama, roupa do bebê e fraldas durante a internação, sabonete, papel higiênico e camisolas.
Trazer para a alta hospitalarROUPAS DO BEBÊ, FRALDA E MUITA FELICIDADE.

NOVA MÃEZINHA!!!

ESSA É A PRISCILA ...

RIO DE JANEIRO
SORRISO LINDO,DOÇURA DE UMA CRIANÇA
FORÇA DE UMA GRANDE MULHER
NOSSA NOVA MÃEZINHA LINDA!!
SEJA BEM VINDA E QUE TUDO CORRA BEM!!

NOVA MÃEZINHA!!

ORAÇÃO Á NOSSA SENHORA DO BOM PARTO




ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DO BOM PARTOO Maria Santíssima, vós, por um privilégio especial de Deus, fostes isenta da mancha do pecado original, e devido a este privilégio não sofrestes os incômodos da maternidade, nem ao tempo gravidez e nem ao parto; mas compreendeis perfeitamente as angústias e aflições das pobres mães que esperam um filho, especialmente nas incertezas do sucesso ou insucesso do parto.Olhai por mim, vossa serva, que na aproximação do parto, sofro angústias e incertezas.Dai-me a graça de ter um parto feliz. Fazei que meu bebê nasça com saúde, forte e perfeito.Eu vos prometo orientar me filho sempre pelo caminho que vosso filho, Jesus, traçou para todos os homens o caminho do bem.Virgem Mãe do Menino Jesus, agora me sinto mais calma e mais tranquila porque já sinto a vossa maternal proteção.Nossa Senhora do Bom Parto, Rogai por mim!




Daniela Serres

LUZ DA TERRA!!!!

Ciclo

Refaz-se a vida,no seu ciclo eterno,
Renasce o , amor,no ir - e - vir da vida,
E a flor que murcha a se esconder do inverno

Na primavera,torna-se a ser bem vinda;
E na criança,em seu sorrir sincero,
Revejo a vida: o ciclo nunca finda!
Tudo repete o vai e vem etéreo,
Reacendendo em mim o amor à vida.
O amor que vive não há quem desfaça.

Inda se a vida parecer finita,
É propagada na criança tua;
E quando a vida te sorri com graça,

E quando o amor o ventre teu habita,
No teu rebento o ciclo continua...

Senhor,agradeço-Te

a nova vida que sinto dentro de mim.

Esta presença faz-me ver as pessoas

e as coisas de maneira diferente,enche-me de ternura

e renova em mim uma grande admiração pelo mistério

pela Tua obra criadora que continua

através da minha pessoa.

Sou feliz por ser mulher e por ser mãe.

Peço-Te que veles por esta criatura que Tu conheces.

Eu percebo apenas o seu movimento,

leve como uma carícia,e sonho com os traços do seu rosto,

e a cor dos seus olhos e cabelo.

Deixa-me sonhar, peço-Te,

mas ajuda-me a conhece-la

para que a possa acompanhar até ao fim do caminho da vida.

Faz com que o cansaço da gravidez e o medo do parto

não perturbem a minha serenidade

e possa viver esta maravilhosa aventura

confiando na Tua Providência.

Maria,Tua mãe corajosa e terna,

esteja a meu lado neste tempo de espera

e me torne capaz dereceber este

criança

com o mesmo amor com que Te acolheram.

Amém!






LEITE MATERNO É SAÚDE ,É ALIMENTO,É AMOR















O leite humano é muito diferente do leite adaptado (leite em pó).
O leite materno contém todas as proteínas, açúcar, gordura, vitaminas e água que o seu bebé necessita para ser saudável.Além disso, contém determinados elementos que o leite em pó não consegue incorporar, tais como anticorpos e glóbulos brancos. É por isso que o leite materno protege o bebé de certas doenças e infecções.
O aleitamento materno protege as crianças de:
Otites
Alergias
Vómitos
Diarreia
Pneumonias
Bronquiolites
Meningites

Outras vantagens do leite materno para o bebé:
Melhora o desenvolvimento mental do bebé;
É mais facilmente digerido;
Amamentar promove o estabelecimento de uma ligação emocional, muito forte e precoce, entre a mãe e a criança, designada tecnicamente por vínculo afectivo.Actualmente, sabe-se que um vínculo afectivo sólido facilita o desenvolvimento da criança e o seu relacionamento com as outras pessoas;
O acto de mamar ao peito melhora a formação da boca e o alinhamento dos dentes.

Amamentar tem vantagens também para a mãe:
A mãe que amamenta sente-se mais segura e menos ansiosa;
Amamentar faz queimar calorias e por isso ajuda a mulher a voltar, mais depressa, ao peso que tinha antes de engravidar;
Ajuda o útero a regressar ao seu tamanho normal mais rapidamente;
A perda de sangue depois do parto acaba mais cedo;
A amamentação protege do cancro da mama que surge antes da menopausa;
A amamentação protege do cancro do ovário;
A amamentação protege da osteoporose;
A amamentação exclusiva protege da anemia (deficiência de ferro). As mulheres que amamentam demoram mais tempo para ter menstruações, por isso as suas reservas de ferro não diminuem com a hemorragia mensal;
Amamentar é muito prático! Não é necessário esterilizar e preparar biberões. Não é necessário levantar-se de noite para preparar o biberão.

Amamentar também é vantajoso para a família:
A amamentação é mais económica para a família. Basta multiplicar o preço de uma lata de leite em pó, pelo número de latas necessárias ao longo da vida da criança, e somar ainda o dinheiro gasto em biberões e tetinas.

O leite adaptado (leite em pó) é muito diferente do leite materno e a sua utilização tem riscos para o bebé:
Os leites artificiais usados habitualmente, são feitos a partir de leite de vaca. Por essa razão, o uso de leite artificial aumenta o risco de alergia ao leite de vaca.
As crianças que são alimentadas com leite artificial têm maior risco de vir a sofrer de otites, amigdalites, bronquiolites, pneumonias, diarreias, infecções urinárias e sépsis.
As crianças alimentadas com leite em pó, além de terem maior risco de sofrer as infecções referidas, as infecções de que sofrem surgem com maior gravidade, porque o seu sistema imunitário não recebe a ajuda dos anticorpos, glóbulos brancos e outros factores imunológicos presentes no leite materno.
As crianças alimentadas com leite artificial têm maior risco de desenvolver linfomas.
As crianças que são alimentadas com leite em pó têm maior risco de vir a sofrer de Diabetes tipo I (insulino-dependente).
As crianças que são alimentadas com leite artificial têm maior risco de sofrer obesidade na vida adulta.
As crianças alimentadas com leite em pó têm maior risco de desenvolver eczema, asma e outras manifestações de doença alérgica.
A UNICEF calcula que um milhão e meio de crianças morrem por ano por falta de aleitamento materno. E não se pense que é só nos países do terceiro mundo. Mesmo nos países industrializados muitas mortes se poderiam evitar com o aleitamento materno[1].
[1] Chen A, Rogan WJ. Breastfeeding and the risk of postneonatal death in the United States. Pediatrics 2004;113:435-9

Desde 1991, a Organização Mundial de Saúde, em associação com a UNICEF, tem vindo a empreender um esforço mundial no sentido de proteger, promover e apoiar o aleitamento materno.
As recomendações da Organização Mundial de Saúde relativas à amamentação são as seguintes:
· As crianças devem fazer aleitamento materno exclusivo até aos 6 meses de idade[1]. Ou seja, até essa idade, o bebé deve tomar apenas leite materno e não deve dar–se nenhum outro alimento complementar ou bebida.
· A partir dos 6 meses de idade todas as crianças devem receber alimentos complementares (sopas, papas, etc.) e manter o aleitamento materno.
· As crianças devem continuar a ser amamentadas, pelo menos, até completarem os 2 anos de idade.
O leite humano é o melhor alimento que uma criança pode receber já que foi especialmente projetado para satisfazer às necessidades de sua espécie. O que o faz inigualável é o fato de que ele satisfaz os aspectos "Nutricionais-Vínculo-Estimulação-Imunidade", todas estas necessidades inadiáveis do recém-nascido. Estas necessidades nenhum alimento substituto consegue satisfazer de forma tão completa quanto o leite materno.O leite humano é o alimento ideal para a criança no primeiro ano de vida, porque: · É um alimento completo e provê todos os nutrientes que o lactente necessita nos primeiros meses de vida.· Seu conteúdo em nutrientes é o adequado para a imaturidade da função renal e intestinal do bebê, para o crescimento e maturação de seu cérebro e como matéria-prima para as transformações que seu corpo vai sofrendo ao longo do primeiro ano de vida.· Seus componentes se encontram em uma proporção tal que nenhum deles interfere com a absorção de outro.· O aporte de substâncias antiinfecciosas chamadas imunoglobulinas é o complemento ideal para as deficiências imunológicas do bebê nos primeiros anos de vida.· A forma química em que se encontram o ferro e o zinco é a forma ideal para seu melhor aproveitamento.· O leite materno contém um tipo especial de carboidrato que é necessário para a formação de uma flora intestinal protetora que inibe o desenvolvimento de germes e parasitas intestinais.· O contato físico com a mãe contribui para fortalecer o vínculo psicoafetivo.· As mães que amamentam geralmente apresentam períodos de infertilidade mais longos após o nascimento do que as que não amamentam.· A amamentação imediatamente após o parto estimula a contração do útero para que ele retorne ao seu tamanho original de forma mais rápida.· Representa a forma mais natural de recuperar o peso após a gravidez, já que a gordura acumulada é consumida para a formação de leite.· O leite da mãe está disponível em todo o momento e em todo o lugar, à temperatura ideal e em perfeito estado de higiene.· As crianças que não são amamentadas ao seio apresentam mais risco de adquirir uma grande diversidade de doenças como: diarréia, eczemas, cólicas, infecção respiratória aguda, otite média aguda, bacteremia e alguns tipos de meningite entre outras.· Vários estudos já demonstraram um efeito protetor do leite materno contra outras doenças que aparecem mais tarde na vida, tais como: asma, diabetes tipo 1 e doenças auto-imunes.· Para a mãe os benefícios são: diminuição do risco de câncer de mama, aumento da auto-estima e fortalecimento do vínculo mãe-filho ao promover o contato pele a pele.· Apresenta vantagens econômicas, já que amamentar é muito mais barato do que alimentar a criança com substitutos do leite materno. O custo do alimento extra que a mãe necessita para produzir leite é insignificante em comparação com o custo das fórmulas lácteas e a energia consumida para esquentar água, esterilizar mamadeiras, etc.· Para a sociedade e Estado representa um importante benefício à saúde já que previne a aparição de numerosas doenças que necessitam de hospitalização e que representam um importante gasto para a comunidade.· Além disto, os lactentes que se alimentam com leite de vaca encontram-se mais expostos a:· Desidratações, já que necessitam utilizar mais água de seu corpo para formar urina do que os que se alimentam de leite materno.· Apresentar baixos níveis de cálcio já que o excesso de fósforo do leite de vaca dificulta a absorção de cálcio.· Diarréias, já que o tipo de flora intestinal que se forma quando se alimentam com leite de vaca não os protege tanto quanto a flora formada com o leite materno.· A sofrer de anemia, já que o ferro do leite de vaca não é absorvido de forma tão eficiente quanto o leite materno. Além disto, o leite de vaca produz microhemorragias intestinais nos lactentes, o que também pode favorecer a aparição de anemia.· Ao sofrer de dermatite amoniacal (dermatite das fraldas), já que o excesso de proteínas do leite de vaca que é eliminado pela urina em forma de amoníaco pode produzir dermatite na zona genital. Os fatores culturais e sociais geram alterações permanentes nos seres humanos que fazem com que o aleitamento materno não seja um comportamento predominantemente instintivo no ser humano. Por isto é possível e muito importante estimular, ajudar, e ensinar a mãe a amamentar melhor desde os primeiros meses da gravidez para que tanto ela quanto a criança possam gozar do benefício da amamentação.
Copyright © 2000 eHealth Latin America

PRESENTE DA MINHA FILHOTA LINDA

GANHEI DA MINHA FILHA ALISSON
ESSA MONTAGEM...
ELA PARTICIPA DO MEU TRABALHO COMO DOULAS
E CURTE MUITO TUDO
ELA TEM 14 ANOS
E COMO ADOLESCENTE
CLARO Q ACHA SUPER IMPORTANTE
ESSE NOSSO CANTINHO AQUI

TE AMO FILHOTA
OBRIGADO PELO APOIO

DOULAGEM ..(2)

video

DOULAGEM

video

Processo de Nascimento

video

domingo, 30 de março de 2008

FLORES DO MEU JARDIM.............

ESSA MENINA É UMA FLOR.....



DANI
QUERO Q SAIBA O
QTO É MARAVILHOSO
TER VC EM MINHA VIDA VIU
SER SUA DOULA ON LINE,ME ENSINA MUITAS COISAS
VC É UM FLOR DE MENINA
E COM CERTEZA SERÁ UM MÃE MARAVILHOSA
TUDO D LINDO NA SUA VIDA!!






Mara












DEPOIMENTO...DO VIRTUAL PARA O REAL.......

CAMILA....

SORRISO DE LUZ!!!
ESSA MENINA É PURA ALEGRIA...
SERÁ UMA HONRA PRA MIM SER SUA DOULA
CONHECER PESSOAS ASSIM,LINDAS COMO VC,
COMO TODAS ESSAS QUERIDAS Q AQ ESTÃO,
ASSIM TÃO ESPECIAIS...
É UM PRESENTE DE DEUS
amo vc viu
um beijinho Mara





A vida virtual invadiu minha situação real.
Deste que descobrir a gravidez venho todos os dias na internet buscar informações e dividir com outras mamães a experiência desse momento. No primeiro era o refugio que eu encontrei, já que não podia contar com parentes e amigos, como a maioria das mães adolescentes eu escondi por um tempo a minha gravidez. Depois disso veio a melhor parte: poder contar minha alegria ao mundo, real e mais ainda no virtual!
Na verdade já nem sei se podemos separar um do outro, os dois, quer dizer, não existe dois, é o mundo único! Mas as comunidades virtual fazem com que encontremos pessoas vivendo situações semelhantes a nossa. Neste momento ser acolhida por todos os lados é fundamental, e a internet ajuda em muito preencher a enorme carência que sentimos, auxilia as pequenas dúvidas (não da pra ligar para o seu G.O a cada 5 mim), escutamos outras situações, enfim, faz com que nos sentimos em casa!
E para completar todo o apoio das amigas virtual, de poder contar problemas, dúvidas e ansiedades, encontrei o apoio que além de amigo é profissional! Agora o que eu tenho não é mais opiniões e relatos semelhantes ao meu, que alias ajudam muito, mas é alguém apto e com coração aberto a me ajudar, a humanização desse momento é essencial! E o que a doula Mara faz é exatamente isso, auxiliar online, oferecer conforto e carinho.
É claro que não podemos contar só com isso durante toda a gestação, o contato com um profissional é de grande importância, mas as amigas e a doula virtual (que será também minha doula real) dão um apoio que não pode ser descrito, que por mais que as famílias e amigos tentem sempre nos ouvir e tirar as duvidas, só elas estão com uma criancinha crescendo em si, só elas sentem seus pequenos filhos movimentarem, só nos ficamos tão sensíveis... só nos somos tão importante para nos mesmas!









Camila Castro - DPP-28 /06/08






BH-MG



Quem são as doulas? Carolina Sette / Wilson de Sousa



Dor, ansiedade e medo. Essas são as sensações de quem está prestes a dar à luz. Com a estudante Cátia Valadares, não é diferente. Ela tem 19 anos e espera pela primeira filha, Isabela. A presença do marido conforta, mas não é a única. Uma mulher voluntária, a doula, vai ajudá-la a ter um parto natural."É um momento de resgate do feminino. Antigamente, quando nossas avós tinham bebês em casa, eram as parteiras, as comadres, era o círculo feminino na hora do parto. Hoje, a doula vem resgatar um pouco desse feminino na hora do parto", explica a doula Renata Beltrão.As doulas ficam ao lado das parturientes até o bebê nascer. Usam bolas, incentivam caminhadas, massagens e fazem as mães rebolarem bastante. Estratégias para o bebê se encaixar no canal vaginal. Com os exercícios, o colo do útero é dilatado e o tempo que precede ao parto é menor.A função das doulas não é apenas a de acelerar o trabalho de parto. Elas também dão apoio emocional às gestantes. Com palavras carinhosas e músicas bem tranqüilas, essas mulheres experientes conseguem acalmar as futuras mães. O trabalho é tão bem feito que, às vezes, elas até se esquecem da dor do parto. "Está ótimo porque ela é calma, aí transmite bastante calma pra gente nessas horas", conta Cátia.Renata explica que tantas técnicas valem a pena. O parto natural é muito mais seguro que o cesáreo. "A relação de vínculo com o bebê é melhor, o sucesso na amamentação também. O bebê já fica com a mãe, que cuida dele enquanto ele a reconhece. O bebê não fica na mão de cuidados estranhos, ele fica na mão da mãe", afirma a doula.
http://dftv.%20globo.com/%20Dftv/0,6993,%20VDD0-2982-%2020070817-%20296597,00.%20html




















































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































Quem são as doulas? Carolina Sette / Wilson de Sousa





Dor, ansiedade e medo. Essas são as sensações de quem está prestes a dar à luz. Com a estudante Cátia Valadares, não é diferente. Ela tem 19 anos e espera pela primeira filha, Isabela. A presença do marido conforta, mas não é a única. Uma mulher voluntária, a doula, vai ajudá-la a ter um parto natural."É um momento de resgate do feminino. Antigamente, quando nossas avós tinham bebês em casa, eram as parteiras, as comadres, era o círculo feminino na hora do parto. Hoje, a doula vem resgatar um pouco desse feminino na hora do parto", explica a doula Renata Beltrão.As doulas ficam ao lado das parturientes até o bebê nascer. Usam bolas, incentivam caminhadas, massagens e fazem as mães rebolarem bastante. Estratégias para o bebê se encaixar no canal vaginal. Com os exercícios, o colo do útero é dilatado e o tempo que precede ao parto é menor.A função das doulas não é apenas a de acelerar o trabalho de parto. Elas também dão apoio emocional às gestantes. Com palavras carinhosas e músicas bem tranqüilas, essas mulheres experientes conseguem acalmar as futuras mães. O trabalho é tão bem feito que, às vezes, elas até se esquecem da dor do parto. "Está ótimo porque ela é calma, aí transmite bastante calma pra gente nessas horas", conta Cátia.Renata explica que tantas técnicas valem a pena. O parto natural é muito mais seguro que o cesáreo. "A relação de vínculo com o bebê é melhor, o sucesso na amamentação também. O bebê já fica com a mãe, que cuida dele enquanto ele a reconhece. O bebê não fica na mão de cuidados estranhos, ele fica na mão da mãe", afirma a doula.

















































































QUANTO AO COLO DO ÚTERO - APAGAMENTO DO COLO..PERÍODO EXPULSIVO

*período expulsivo,bebe nascendo
*bebe coroando e em movimento de rotação

*bebe encaixando e descendo


*bebe vindo



*completamente dilatado




*colo apagando e dilatando





*perda do líquido e demais secreções
dilatação e início do nascimento






*visão de frente bo bebe encaixado e já baixo







*colo ainda fechado
posicionamento na pelvis








*descida e encaixe do bebe









*começando a abertura e o esvaziamento
e bebe alto ainda











*ainda com o colo fechado
perda do tampão











Quanto ao colo do útero, conforme a gestação vai chegando ao final o colo do útero vai se modificando. Vai ficando com uma consistência mais macia, a cabeça do bebê tende a tomar uma posição mais baixa e com isso o colo uterino, que é a parte mais inferior do útero, vai ficando mais fino. Fora da gestação e no seu inicio o comprimento do colo do útero é de 3,5 a 4,5 cm. Com o progredir da gestação há o que chamamos de embebição gravidica, que também colabora com as mudanças do colo. No final da gestação as contrações uterinas são mais freqüentes, principalmente após a 38ª semana. Elas são responsáveis pelo encaixe do pólo cefálico e também pelo apagamento do colo uterino. Normalmente quando é o primeiro parto a tendência é primeiro ocorrer o esvaecimento e depois a dilatação. Após o primeiro parto o esvaecimento ocorre simultaneamente com a dilatação. Da mesma forma a insinuação (encaixe da cabeça) ocorre na primeira gestação, nas subseqüentes (2º, 3º parto) a descida da cabeça ocorre somente durante o trabalho de parto.