domingo, 7 de fevereiro de 2010

Postagem do Blog Passos para o Parto http://groselhadeuva.blogspot.com/

domingo, 17 de janeiro de 2010
.:. Estou em Trabalho de Parto?!? .:.


Algumas dicas para saber quando a preciosa hora chega, e evitar que você caia em uma cesárea desnecessárea.

Para Talitha, que está me dando a oportunidade de ser sua doula virtual e para Jesica Loli e Mara Freire, minhas grandes e adoradas mestras.
1- Como vou saber que estou em Trabalho de Parto (TP)?
Um belo dia você acorda, de bem com a vida e de bem com sua barriga. Mas... o que é isso que estou sentindo? Ui, uma dorzinha no pé da barriga... uma dorzinha nas costas... Eu hein... que dor estranha... vem e passa, vem e passa, vem e passa... como ondas!

Parabéns, meu bem! Talvez você esteja com contrações! Mas como vou saber se estou tendo contrações verdadeiras (que te levarão ao parto) ou se é apenas um trabalho de parto falso?

Uma boa dica é tomar um banhozinho quente, para que você relaxe o corpo e a mente; e depois se deitar. Se depois de 60 minutos – 3 hora suas contrações não pararem, se prepare. O grande momento seu e de seu filho chegou.

2- Mas será mesmo que estou tendo contrações, ou é só coisa da minha cabeça?
Quando eu estava grávida, e perguntava como saberia quando estivesse em trabalho de parto, todos me davam a resposta mais idiota do mundo: você vai saber...
Que resposta imbecil! Nunca passei por um parto antes! Como vou saber que chegou a hora?
Simples, querida. Vai saber. Você vai perceber, vai se sentir diferente. Sua barriga enrijecerá durante cada contração e sua vagina começará a expelir um muco grosso.

Tente olhar a sua vagina, com a ajuda de um espelho ou do seu marido. Esta estará muito vermelha e inchada. Inchada mesmo, seu dedo indicador terá dificuldades de ser introduzido lá.
Logo você perderá a paciência com os barulhos e com as luzes. Vai procurar um local silencioso e mais escuro, e lá entrará em transe, em contato com sua selvagem interior, e se desconectará cada vez mais do mundo externo.
Não permita que te atrapalhem. Peça ao seu marido, mãe, doula que ninguém lhe perturbe. Que não conversem com você além do que você permitir, que não fiquem lhe fazendo perguntas. Abandone este mundo e procure o seu interior.
Talvez agora venha a vontade de gritar. Grite. GRITE!!! Não importa o que os outros digam, obedeça o seu corpo. Gritar ajuda o seu períneo a relaxar e previne as lacerações. Logo sentirá uma vontade de fazer força, uma força parecida com a do “cocô”. Algumas mulheres não sentem essa vontade de fazer força.
Então, sentirá um grande ardor na vagina, e a cabeça do seu bebê começará a sair. Chama-se coroar. O círculo de fogo. Com mais algumas contrações, todo o corpinho sairá e seu bebê virá para seu colo.
3- Qual a melhor hora de ir para o hospital?
Depende! De muitas variáveis.
Você tem doula ou não? Seu médico é do tipo que queria marcar cesárea por falta de dilatação na sua quinta semana de gestação ou ele faz partos normais mesmo? Sua família apóia seu parto normal ou não?
Se você respondeu “não” pra alguma questão acima, a hora certa de ir para o hospital é só depois que suas contrações aparecerem regularmente a cada 8 minutos, pelo menos.

>>>NUNCA ANTES DISSO, OU VOCE POSSIVELMENTE TERÁ UMA CESÁREA!<<<
Uma vez no hospital, se não tiver doula ou um acompanhante que apóie realmente o seu parto normal, você estará a mercê do médico e de suas intervenções, como:
* soro com ocitocina: aumenta potencialmente suas contrações, de modo que a dor fique insuportável e você clame por uma cesárea – seu bebê pode entrar em sofrimento fetal por causa desse soro;
* proibição ou limitação dos movimentos: te obrigarão a deitar e permanecer nessa posição, o que aumenta as dores, diminui a oxigenação materno-fetal, e desacelera o trabalho de parto e a expulsão do bebê;
* pressão psicológica por parte dos médicos e dos familiares para fazer cesárea: com certeza seu marido e familiares não querem te ver sofrer. Se seu acompanhante não tiver muito claramente em sua mente que seus gritos (que podem ou não ocorrer) não são necessariamente de dor, mas algo instintivo, um médico anti-ético poderá convencê-lo de que você está sofrendo e que a cesárea é a melhor opção.

_-*-_

No próximo post, como saber se está acontecendo algo de errado durante meu trabalho de parto?


Postado por [.ingrid.] às 16:08 1 comentários

Marcadores: Cabeça do bebê, Cesárea, Contração, Contrações, Círculo de Fogo, Hora do Hospital, Instinto, Intervenções, Mentiras, Parto, Pressão Psicológica, Trabalho de Parto (TP)

2 comentários:

[.ingrid.] disse...

Aaaah, adoreeeei minha amaaadaaa!

Te amooo!

LUZ DA TERRA disse...

te amo pra sempreeeeeeeeeeeeeeeee
minha discipula amadaaa
meu orgulho viuuuu
te admiro mtooo

bjus eu